sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Isso tudo não é tudo!


Nossa vida é engraçada.

Nossa vida é muito boa.

Nossa vida é punk.

Nossa vida é o que plantamos e colhemos.

Nossa vida é resultado de nossas escolhas.


Porque digo isso num Blog de Triathlon?
Porque, simples assim, tem tudo a ver.

Para quem, como eu, vive Triathlon durante muitas (para não dizer 24) horas do dia, pode parecer antagônico.
Mas a vida nos vai ensinando que tudo tem seu tempo.

Sabe o que é engraçado?

Recebemos "cobranças" de todos os tipos e de todos os lados.

Dos tipos:

- Pourra, você não pensa em outra coisa a não ser treinar e competir.

- Pourra, você não está treinando com o afinco necessário... Assim não vai evoluir.

E dos lados:

- Do lado de lá, que querem porque querem que sejamos seres normais.
E, simplesmente, não somos.

- Do lado de cá, que querem porque querem que sejamos o super-atleta.


Objetivamente falando, o intuito deste post é enfatizar, para todos nós (de todos os tipos e de todos os lados) que há coisas mais importantes no mundo do que ser um Triathleta.

Existem, claro, determinadas épocas em que, por estarmos focados num "objetivo Triathlético", precisamos estar realmente determinados a atingir esse objetivo.

DESDE QUE ESTEJAMOS COMBINADOS COM OS SERES ENVOLVIDOS EM NOSSA VIDA.

Caso nada tenha sido combinado, esqueça!!!

Vou dar um depoimento simples e pessoal (bom, depoimento, por si só, é pessoal... kkk):

Estou empenhado em fazer o meu melhor Triathlon Internacional de Santos, em 10/03/2019. (Relato da prova de 2018)

Não vou conseguir... Não mesmo.

Mas, estou me aplicando a fazer o meu melhor, dentro daquilo que estou conseguindo me dedicar a esse objetivo.

Só que, hoje em dia em dia, isso para mim não é tudo.

"Tudo" significa estar bem comigo, com minha família (a pouca que resta), com meus amigos, com minha esposa (hoje, já posso oficialmente chamá-la assim), com os compromissos que escolhi, enfim.

Como diria Tim Maia: "Tudo é tudo e nada é nada".


A não ser que você seja um atleta profissional, que depende de resultados para sua sobrevivência, aplique-se da melhor forma possível para ser o SEU melhor Triathleta.

Nunca esquecendo que você tem uma família que te ama, que te apóia (tomara que sim), que até te empurra, como aquela que eu tenho, graças a Deus.


O equilíbrio e a negociação entre sua vida atlética e sua vida pessoal são a solução para tudo.

Ser um Campeão em diversas provas...  Já fui.

Ser um Ironman... Já fui sete vezes.

Ser um Ser Humano comprometido com o que tenho de fazer... Estou tentando.


Pode parecer piegas...

Mas realmente, o que levaremos daqui não são troféus, medalhas, títulos, homenagens.

A única coisa que levaremos daqui será aquilo que semeamos e, se possível, colhemos.


Continuo firme e forte em meus objetivos Triathléticos, mas... ISSO TUDO NÃO É TUDO!

Cuida bem de quem está ao teu lado o tempo todo.

Cuida bem de quem te apóia o tempo todo.

Cuida bem dos teus próximos, mesmo que eles contestem o que fazes. 
Eles simplesmente não compreendem, o que não é motivo para não compreendê-los.


Sabe quando, numa prova exaustiva, você já tá no "bico do corvo"?
Tipo "desequilibrado"?
Não deixe sua vida ficar assim.

ISSO TUDO NÃO É TUDO!
Mas tudo isso é fato.

Equilíbrio. Este deveria ser o título, mas, prefiro manter o original.


3AV
Marco Cyrino



Nota do Editor:
Nenhuma falha de editoria...
Mantidas as (eficazes) alternâncias entre 1ª, 2ª e 3ª pessoas do indicativo.

domingo, 3 de fevereiro de 2019

Mais ensinamentos...



Hoje, a conversa é introspectiva...


Há períodos em que nos esforçamos muito para atender ao Triathlon que corre em nossas veias (não é sem motivos o nome deste Blog).

São treinos e mais treinos, ora para nos reabilitarmos após algum problema de saúde e depois para voltar à forma atlética, ora para entrar no modo velocidade, ora para voltar ao modo endurance, ora para não perder o condicionamento durante algum recesso.

E são também ajustes na programação de vida, para coadunar todos os compromissos e suas decorrentes responsabilidades, sem mencionar aqueles que assumi mais como Missão.


E assim segue a nossa vida, minha e daquela que me acompanha.


Da mesma forma, como o "tempo passa ao mesmo tempo" para todos, seguem também as vidas daqueles(as) com quem temos vínculos de todas as naturezas --- familiares, religiosos, profissionais, de amizade, de coleguismo no esporte e em outras atividades, incluindo as pessoas a quem prestamos (no passado e/ou no presente), ou de quem recebemos (no passado e/ou no presente) qualquer tipo de ajuda, suporte, apoio, solidariedade, em quaisquer situações.

Por mais que desejemos e esperemos que tudo sempre esteja correndo bem com essas outras vidas que nos são caras, é evidente que elas também seguem com todos os seus perrengues, dificuldades, tristezas e alegrias.

E, de quando em vez, chegam até nós os efeitos dessas ocorrências nas vidas que nos são caras, às vezes uma após outra, cada uma mal permitindo que nos recuperemos, ao menos emocionalmente, antes da próxima.


Então, nessas fases, gostaríamos de poder nos desdobrar em diversas pessoas, de poder, ao mesmo tempo, encontrar e executar soluções, prestar apoio e solidariedade, manter o foco nas pessoas que nos são caras, manter o foco no esporte, continuar cumprindo nossas Missões.

Mas, descobrimos que somos únicos(as) e que não temos clones... e que teremos de conseguir realizar "tudo junto ao mesmo tempo", numa verdadeira metáfora daqueles Irons (já tenho 7 na bagagem) ou Insanos, em que precisamos gerenciar os imprevistos, lidar com o cansaço e as dores, superar nossas limitações, reavaliar constantemente as reservas de energias, reconsiderar de tempos em tempos a estratégia de prova...  mentalizando e vislumbrando sempre o momento de cruzar o pórtico e sentir que a determinação nos conduziu até o final.


E assim haverá de ser.


Como venho dizendo em outros posts, são ensinamentos do esporte.
Muitos deles, às vezes, estamos aplicando sem nem perceber...


Aloha!

3AV
Marco Cyrino