sexta-feira, 8 de junho de 2018

Chellenge Samorin Championship (Mundial de Meia Distância) - Relato Pré-Prova


Costumo, após uma prova, fazer um post apenas com o relato de prova e, posteriormente, outro complementar com as fotos.

Desta vez vou mudar um pouco.

São tantas coisas para contar e mostrar que, provavelmente, farei esta postagem com relato e imagens da pré-prova... e depois outra, também provavelmente com relato e imagens da prova, e mais uma das viagens de ida e volta.

E ainda faltará relatar e mostrar imagens da estadia. Talvez o faça em postagem específica, ou junto com alguma outra postagem... vai saber... kkk.


Relato pré-prova

Prova muitíssimo diferenciada, em relação às que estamos acostumados a fazer por aqui. Inclusive as da própria marca Challenge-Family.

Bom, trata-se de um campeonato mundial de meia distância, long distance, 70.3, meio Ironman, ou seja lá o nome que se dê a provas com a distância de 1.900 m de natação + 90 km de ciclismo + 21 km de corrida.

Campeonato mundial, penso eu, não é qualquer coisa. É coisa bastante.
Diria que é pra gente ficar coisando durante muito tempo.

Após nossa viagem de ida, mais de 30 e poucas horas direto e reto, entre saída de casa para a Rodoviária de Santos, dali pra Guarulhos by bus (ah... o idioma inglês-brasiliano tá me dominando... kkk), checkin de bagagem, embarque, viagem de umas 10 horas até Londres, tomar um perdido no aeroporto, embarcar para Viena, tomar outro perdido, catar bagagem, tomar outro perdido, pegar um bus para Bratislava (capital Eslovaca), pegar um taxi para Samorin (local da prova, a uns 25 km de Bratislava), levar 2 horas nesse pequeno trajeto, pagar uma fortuna, chegar finalmente ao excelentíssimo hotel oficial da prova (X-Bionic Hotel), conseguir fazer o checkin, nos instalarmos em nosso quarto, tentar nos achar no imenso complexo, comer algo, ajeitar as coisas (kkk... ajeitar é modo de falar), deitar... ufa!

Dia seguinte, acordamos, tomamos um belo café da manhã, saímos para conhecer o local, tiramos algumas fotos, entramos em contato com a Daniela, uma das brasileiras que já estavam por lá, e marcamos para fazer um treino de natação no Rio Danúbio, mais tarde.

(Clique em qualquer imagem para ver em tamanho original e/ou slide show. Retorne com Esc.)

1-Conhecendo o parque aquático.

2-O símbolo do X-Bionic

3-Vista da varanda do quarto

4-Na entrada do hotel



Enquanto isso, decidi tentar eu mesmo montar a minha bike, que viajou bastante desmontada, em duas malas-bike emprestadas pelo brother Pandeló.
E não é que consegui?

5-Aperto final

6-Tá montada

Depois, só tive que dar um grau nos pneus (calibragem) e na regulagem do câmbio, numa tenda de assessoria montada ao lado da entrada do Hotel.


Em nossa caminhada, na quarta-feira, fomos conhecendo um pouco do local e, ao chegarmos à parte que daria acesso ao Rio Danúbio, fomos barrados por um segurança, provavelmente porque a estrutura da prova estava sendo instalada.
Fomos orientados a ir conhecer o local da natação, pelo lado inverso, sem saber que esse lado nos levaria a um braço do rio que nada tinha a ver com o próprio Danúbio.
Era um braço calmo, estreito e sem vento.

Em pouco tempo a Daniela chegou e, depois de nos conhecermos, disse a ela que não iria nadar. Não estava nem um pouco animado para entrar no rio.

7-Daniela chegou



Fizemos uma corrida solta de uns 6 km, para dar uma "animada" na carcaça.
Ela chegou chegando. Preparada para correr e para nadar... ou, para nadar e correr.
E eu tentando ainda entrar em sintonia com o cansaço e com o fuso horário.

Depois da corrida, resolvi acompanhá-la, junto com a Neuza, até esse tal de Rio Danúbio, que na verdade era o filhotinho dele.

8-Reconhecendo o filhote do Rio Danúbio


Que beleza... que maravilha... meus medos acabaram.
Temperatura da água amena.

Mesmo sem ter levado material de natação, entramos no rio.
Logo veio um segurança local e nos mandou atravessar o rio, pois, onde estávamos, era proibido entrar nele.

9-Sendo expulsos do filhote


Atravessamos por uma ponte e entramos nele.
Nadamos no máximo uns 300 m, e confraternizamos.
Pagamos o maior sapo, dizendo que "atletas raiz" que éramos, daria até pra nadar sem roupa de borracha... kkkk
Mal sabíamos o que nos esperava.

10-Já do outro lado... permitido

11-Si achando...kkk

12-Depois do reconhecimento



Na volta ao hotel, passamos por um roseiral e fizemos várias fotos lindas do local.

13-As rosas não falam, simplesmente as rosas exalam...


Dia seguinte, marcamos de ir ao treino de ciclismo com os profissionais. Apenas para fazer um reconhecimento do percurso.

Treino marcado para 14:00h.
13:000h, nos encontramos na porta do hotel, e... nada...
14:00h e... nada!
14:30h e... nada ainda...
14:50h, apareceram alguns atletas, alguma estrutura e... lá pelas 15h e pouco, saímos para o treino (para o qual a minha meta seria no máximo uns 20 a 30 km, de boa).

Já nessa hora, conheci um grupo de atletas brasileiros, a maioria de Brasília, com os quais tivemos grande afinidade.

14-Cadê a galera...

15-Foto tradicional

16-Opa...olha a brazucada aí...


Saímos e... ventaca contra (me parece que na região venta todos os dias com ventos de no mínimo uns 30 km/h).
Existem na região muitíssimas usinas eólicas, o que, em minha opinião, demonstra o potencial de vento.

17-Vento

18-Ventoooo

19-Ventoooooooooo


Uns 30 atletas + 3 carros de apoio, sendo 1 na frente, 1 no meio e outro atrás.
Na ida, pedalamos 31 km com vento contra, fazendo força para não perder o pelotão.
Subimos a barragem do Rio Danúbio e paramos para os Staffs falarem bastante sobre o trajeto, a prova, dando excelentes conselhos, etc.
Particularmente, não entendi porríssima nenhuma.

Voltamos com vento a favor... estava fácil manter 39, 40, 41, 42 e até 43 km/h.

Pensei que a prova, no ciclismo, seria melhor assim.
Vento contra na ida e a favor na volta.
Sairia mais leve pra correr, depois de fazer força na ida.
No próximo post falo mais a respeito.


Na sexta-feira, no hotel, conhecemos a Taís e seu marido, o Guto, de Fernandópolis.

20-Taís e Guto conosco, pós-simpósio

Também conhecemos o Mauro e a Cristiane, de Santa Catarina.

21-Mauro e Cris conosco, no aeroporto de Viena


Viramos companheiros de hotel, de prova e de viagem e nos ajudamos mutuamente em várias coisas.

Taís me ensinou a mexer no Garmin e me emprestou um alicate de corte e fita isolante, para arrumar nossa mala de viagem que havia quebrado.
E me digam: como uma muié dessa leva um alicate de corte e fita isolante em sua bagagem, sendo que a maioria levaria um alicatinho de unha e uma mala de maquiagem.
Isso é "atleta raiz"... kkkk

E salvou nossa mala para a viagem de volta.


O Mauro e a Cris, depois de várias conversas, nos ajudaram a fretar uma van, direto de Samorin para Viena, nos poupando de mais gastos ou de uma volta via Bratislava novamente.


Aguardem o próximo capítulo: Relato de Prova.


3AV
Marco Cyrino


14 comentários:

  1. Que aventura gostosa, que imagens bonitas, show!!!

    ResponderExcluir
  2. Show Marcão... Já foram muitas emoções! Agora manda notícias da prova. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Show Marcão. Mas a foto 9 só veio uma música na cabeça."que co cê foi fazê no mato Maria chiquinha.kkkk
    Essas provas são pra ficar na mente pra sempre. Abraço

    ResponderExcluir
  4. Daniela Rodrigues10 de junho de 2018 00:02

    Queridos amigos, Cyrino e Neuza foi maravilhoso compartilhar essa aventura e prova com vcs. Foi sem dúvida uma experiência sensacional! Obrigada por tudo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô, Dani. Nós é que agradecemos pela companhia. Certeza de nos vermos em outras aventuras triathléticas....kkkk

      Excluir
  5. Marcão, meu atleta favorito, meu irmãozão mais velho, meu parceirão de confidências, meu brother pra caralho !!

    Isso é o que importa, as experiências da vida. Que bom que tu não foi lá apenas preocupado com a calibragem dos pneus, com a colocação na prova, com a estrutura da prova e tudo o mais.
    Conhecer novos amigos e aproveitar os lugares e sorrir é sempre o mais importante.
    Mas já já vai acabar a moleza, meu filho.
    Já to com a mente trabalhando para o próximo ano !!

    Vai surfar, vai !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô, meu brotherzão...fic tranquilo aí. Vou surfar sim.Se Deus quiser. E logo vou estar te pentelhando com a programação para a próxima prova. Fora isso, vais me instruir na programação de fortalecimento....pensas que estás de férias ?....kkkk

      Excluir
  6. Legal Marcào...manda o resto da parada aí...tō gostando do causo ;)

    ResponderExcluir
  7. Marcão, parabéns pela bela prova feita e pela postagem. Parabéns pelo teu passatempo, isto mesmo, passatempo, porque é disto que vivemos. De passar o tempo. E cada segundo, minuto, hora deste passar de tempo bem aproveitado e vivido se tornará uma lembrança agradável no inverno de nosso tempo. Forte abraço meu irmão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porra. Nikita. Falastes praticamente tudo.É disso que vivemos.De passar o tempo. Mas nunca de deixar o tempo passar sem fazer algo de útil. Assim passamos nosso tempo. Um forte abraço, irmão !

      Excluir